2016: Meu segundo natal na França


Ah o Natal <3 tivemos até um menu e nossos nomes escritos <3

Tivemos doces <3

Tivemos arvore de natal <3

Tivemos comilança.... <3 <3 <3




24 de dezembro. Duas horas da tarde. 

Ah. Comida. Digo natal. A maioria das pessoas associam natal a comida. Esses dias vi uma amiga (já falei da Rampinii várias vezes aqui) postar no facebook que a comida do Natal é super estimada. Segundo ela, a comida natalina não é lá grande coisa.  A partir daí é cada um com sua família. Cada família tem seu tipo de salpicão. De rabanada e por aí vai. 

Dito isto. Eu, chorando. Chorando no carro igual um neném. Ouvindo minha playlist natalina link: https://soundcloud.com/radio-unifoa/r-dio-unifoa-playlist-natalina Choramingando no ombro de Clément que minha família não tá aqui. E etc.  Decidi: Fazer minhas comidas brasileiras pro natal.

Foi um pouco caótico. Por que eu separei 4 receitas que eu queria comer:

 -  Farofa de biscoito da minha mãe. Ela faz isso todo natal. Ano passado quando ela estava aqui com a minha irmã fizemos juntas. Eu como isso todo natal, eu preciso!

- Rabanada, minha vó faz uma rabanada que nunca vi ninguém fazer igual. Tenho ligado pra ela e pro meu pai quase todo dia. Toda hora. Sabendo que eles estão juntos lá, fazendo todas as brincadeiras e palhaçadas que a gente sempre faz no natal. Então decidi que ia fazer a rabanada, e bater foto pra mandar pra minha avó!

- Torta de bolacha, isso é algo que eu e minha irmã aprendemos a fazer quando moramos no Rio Grande do Sul. Eu quis fazer por que andando pela sessão internacional do super mercado achei bolacha maria!

- Salpicão, por que já faz alguns dias que eu tava com vontade de comer isso. E dei uma sorte danada por que tinha batata palha na sessão internacional :) grande sessão :) você acha de tudo por lá, comida portuguesa, mexicana, árabe, tudo!

Ok, Sofia. Mas o que tem de caótico nisso? Neste natal. Nos somos 5 pessoas.  Eu, Clément, os pais dele e a irmã. E assim como os brasileiros, eles têm lá as comidas que eles fazem no natal, e não é pouca comida não!! Então hoje (24/12) eu já estava com um bacião enorme de salpicão (por que são uns 15 ingredientes então no final ele ficou enorme!) e mais a torta, a rabanada e farofa.

E aí decidimos, vamos comer o salpicão no almoço! Os franceses gostaram, Claude e Joella adoraram, Manon e Clement nem tanto, mas até aí, 3 pessoas em 5 gostaram de verdade (por que a gente é sempre honesto sobre comida nesta casa!). :) Bingo. Até aí tudo bem, certo? Salpicão estava bom, MAS, umas 3 garfadas de comida gelada em pleno inverno não desce lá muito bem. To com frio até agora. Decidimos deixar o salpicão pra um dia de verão.

 Eu não tinha pensado nisso. Salpicão no natal brasileiro é ótimo, geladinho naquele calorão, é uma beleza. Mas quando tá frio pra caramba e seu almoço é aquilo, não é a mesma coisa. Fora que, os franceses nunca comem mais de um prato ao mesmo tempo. 
Sabe aquilo de comer um prato enorme com tudo dentro? Eles não têm isso. Comem uma coisa de cada vez. Comem um negócio na entrada, depois comem sei lá o que e etc. Então pra eles, comer o salpicão puro, sozinho, como prato principal pareceu uma boa ideia. Eu avisei que aquilo é um acompanhamento, mas pra eles uma prato desses com 15 ingredientes já era mais que uma refeição completa. É a cultura deles. 

Com tempo você aprende a se adaptar. No começo eu não gostava de comer 20 pratos com um tiquinho de comida dentro. Até por que no final você vai estar tão estufado quanto se tivesse comido tudo aquilo em um pratão cheio. Mas como é a cultura deles, entrei na onda. É legal participar e testar novas culturas. Hoje, se eu quero eu encho me meu prato, como o que eu quero e eles entendem. 

Bom, agora só falta ver o que eles acham da rabanada! :) 

Algum tempo depois:

Eles gostaram, rabanada foi sucesso.

Passamos o dia 25 com a família do Clément, na casa do tio dele, comemos "raclete" (Um tipo de fondue de queijo) comemos até a barriga dizer chega. E depois fomos caminhar por ai (tradição muito comum dos franceses, caminhar depois de comer pra caramba, dar uma volta pela vizinhança com seus convidados)

O tio do Clément mora perto de um parque, este parque é o quintal da prefeitura da cidade, tem brinquedos pra crianças, tem alguns veados que moram por ali eu não sei a quanto tempo, e patos que vivem no lago.

Foto de quando chegamos na casa do tio do Clément, todos de toquinha <3







Um comentário: